quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Mal transitório, bem eterno

Em algumas partes das Escrituras, tanto o Pai quanto o Filho nos ensinam a não temer os homens, que matam o corpo e depois não têm mais o que fazer (conforme Lucas 12:4), dizendo ao povo através de Isaías que: "Eu, eu sou aquele que vos consola; quem, pois és tu, para que temas o homem, que é mortal, ou o filho do homem, que se tornará em feno?" (capítulo 51). Sabemos que fomos chamados à eternidade através do Cordeiro, e que "Deus [EU SOU¹] age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito." (conforme Romanos 8:28); e se entendemos que do Criador provém toda virtude, como toda bondade, compreensão e sabedoria (conforme escreveu o discípulo Tiago), podemos entender também que toda desvirtude provém de baixo (das entidades obscurecidas que procuram enganar a cada pessoa deste planeta), e que algumas destas desvirtudes se tornam em fraquezas, as quais, naqueles que desobedecem às boas novas, se tornam em transgressão contra o Pai e em injustiças contra o próximo; males concebidos para operar perdição somente naqueles que os praticam.

Em outras palavras, ainda que alguém nos faça algum mal nesta vida transitória, na verdade esta pessoa vivencia de maneira inconsciente, um anseio de destruição que parte "de baixo" contra si, recebendo a semente da autodestruição, ou seja, a perdição eterna, da qual toda pessoa neste planeta pode ser resgatada, por meio do Filho e do perdão que este conquistou para nós diante do Pai, para que aqueles que vierem a obedecer às boas novas, condenando a carne com as suas paixões e cobiças (conforme Gálatas 5:24), obtenham o perdão que livra da morte eterna, e perdoem aos que sofrem e causam sofrimento (como causamos antes de alcançarmos libertação) pela influência das forças que nos querem mal desde o princípio: as mesmas que trabalham em que julguemos para sermos julgados, em que condenemos para sermos condenados, e em que não perdoemos para não sermos perdoados.

"Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira." (João 8:44)

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus [do EU SOU¹], para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." (Efésios 6:11-12)

¹ Êxodo 3:14 

Nenhum comentário:

Postar um comentário